quarta-feira, 18 de abril de 2012

Analise científica do filme "O Óleo de Lorenzo" por Waldeci Moraes


  Título original: Lorenzo's Oil. Lançamento: 1992 (EUA). Direção: George Miller. Atores: Susan Sarandon, Nick Nolte, Peter Ustinov, Kathleen Wilhoite. Duração: 135 min. Gênero: Drama. Distribuição: Universal.

   • Resumo do filme: Augusto Odone (Nick Nolte) e Michaela Odone (Susan Sarandon) são os pais de um garoto (Lorenzo) que é portador de uma rara doença cerebral (ALD). Frustrados pelos médicos não terem o diagnóstico para uma doença tão grave, eles começam a pesquisar e a estudar por conta própria sobre tão fatídica doença, tentando encontrar uma cura para o filho. Essa pesquisa leva-os aos caminhos trilhados pelos pesquisadores científicos. Suas descobertas revolucionam o diagnóstico e tratamento da ALD, na época, causando um verdadeiro alvoroço na comunidade científica e nos pais de crianças portadoras da síndrome. A trama também mostra outra vertente bastante significativa, pois reflete os padrões e até mesmo as limitações impostas pela ciência convencional.




   Segundo Christian Leville em seu livro “A Construção do Saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas, cap 1: o nascimento do saber científico”  a pesquisa científica é a realização de um estudo planejado, sendo o método de abordagem do problema o que caracteriza o aspecto científico da investigação. Sua finalidade é descobrir respostas para questões mediante a aplicação do método científico. 

A Pesquisa
  A pesquisa sempre parte de um problema, de urna interrogação (na questão aqui apresentada, a doença congênita de ALD) uma situação para a qual o repertório de conhecimento disponível não gera resposta adequada. Para solucionar esse problema são levantadas hipóteses que podem ser confirmadas ou refutadas pela pesquisa. Portanto, toda pesquisa baseia-se em uma teoria que serve como ponto de partida para a investigação.
   Em relação a esses aspectos de metodologia de pesquisa científica aqui apresentada pelos personagens do filme “O Óleo de Lorenzo”, pode-se deduzir é que ela está relacionada em diversos aspectos com essa necessidade de ir além da abordagem teórica científica empregada na época.

O Saber científico
   Assim, através da persistência e a incansável busca dos Odones por respostas que preenchessem as lacunas em torno da doença que vitimava seu filho Lorenzo, tivemos uma verdadeira pesquisa de caráter científico (biológica e medicinal no caso), ou seja, suas buscas no princípio, proveniente apenas da curiosidade de entender o que se passava com seu filho, despertaram uma necessidade do uso do saber científico por parte de alguém totalmente alheio a tais métodos, pois a síndrome que se manifesta em Lorenzo (ALD) e degenerativa a qual se caracteriza pelo acúmulo de ácidos graxos saturados de cadeia longa (principalmente ácidos com 24 e 26 carbonos) na maioria das células do organismo afetado, mas principalmente nas células do cérebro, levando à destruição da bainha de mielina, que protege determinados neurônios. Sem a mielina, estes neurônios perdem a capacidade de transmitir corretamente os estímulos nervosos que fazem o cérebro funcionar normalmente e aí surgem os sintomas neurológicos da doença.

Por que pesquisar?
   Portanto, sendo esta uma doença nova, que lhe interessará delimitar cientificamente as suas origens, conceitos, mecanismo de ação, etc. Para isso os pais do menino empregam técnicas de pesquisa bioquímica e da medicina, que objetivara estudar o funcionamento e a razão da lógica dessa moléstia sem o conhecer de sua história.

A pesquisa científica hoje
   No entanto, no capitulo seguinte do livro: “A pesquisa científica hoje”, o mesmo autor lembra-nos de que esta é uma avenida de mão dupla: a pesquisa pode, algumas vezes, gerar insumos para o surgimento de novas teorias, que, para serem válidas, devem apoiar-se em fatos observados e provados. Além disso, até mesmo a investigação surgida da necessidade de resolver problemas práticos (como foi o caso de Lorenzo) pode levar à descoberta de princípios básicos (como foi à descoberta da relação da enzima com as cadeias longas por Augusto Odone).
   O autor de “A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas” em sua obra define que, os critérios para a classificação dos tipos de pesquisa variam de acordo com o enfoque dado, os interesses, campos, metodologias, situações e objetos de estudo. O autor declara também que quanto à forma de abordagem, a pesquisa pode ser qualitativa ou quantitativa. No caso dos Odones, a principio buscavam aprender e entender como as células do nosso organismo funcionam fazendo uso de uma pesquisa qualitativa, neste caso, as questões foram estudadas no ambiente em que elas se apresentavam sem qualquer manipulação intencional do pesquisador. A utilização deste tipo de abordagem difere da abordagem quantitativa pelo fato de não utilizar dados estatísticos como o centro do processo de análise de um problema, não tendo, portanto, a prioridade de numerar ou medir unidades. Para isso, passavam dias e noites em bibliotecas, mergulhados nos livros (neste caso uma pesquisa bibliográfica), ou seja, necessitavam de um referencial teórico sobre a síndrome, apenas coletando as informações apresentadas. Os dados coletados pelos Odones nessas pesquisas são descritivos, retratando o maior número possível de elementos existentes na realidade estudada. Preocupavam-se muito mais com o processo do que com o produto. Na análise dos dados coletados não tiveram a preocupação em comprovar hipóteses previamente estabelecidas, porém não eliminaram a existência de um quadro teórico que direcionasse a coleta, a análise e interpretação dos dados.

   A pesquisa efetuada pelos Odones no filme estava longe de ser uma pesquisa científica dentro das normas preestabelecidas, mesmo recorrendo aos médicos, professores e cientistas, sempre que achavam ter encontrado alguma informação significativa – buscando discutir com eles um tratamento melhor que viesse minimizar o sofrimento de Lorenzo, pois, falando cientificamente os Odones eram leigos na cientificidade dos fatos em questão. Para Alda Alves-Mazzotti e Fernando Gewandsznajder em seu livro: “O Método nas Ciências Naturais e Sociais: Pesquisa Quantitativa e Qualitativa; capítulo 5 intitulado: As Ciências Sociais são Ciências?”, enfatiza que a pesquisa científica visa conhecer cientificamente um ou mais aspectos de determinado assunto. Para tanto deve ser sistêmica, ordenada e analítica, só dessa forma o produto da pesquisa científica deve contribuir para o avanço do conhecimento humano. Essa conceituação de paradigmas dificultou (e ainda não aceita pela ciência americana em sua totalidade) a pesquisa feita pelos Odones no tratamento da síndrome de ALD.

   Ao fazer a análise da metodologia usada pelos Odones, faço-a à luz da obra de Babble Earl “Métodos de Pesquisa de Survey, capitulo 1: A lógica da Ciência”, onde o autor enfatiza que aceitar uma lógica científica significa admitir a existência de uma sincronia entre mencionar, pensar, idealizar, argumentar, relatar e razão lógica é que toda pesquisa científica ( natural ou social) e profundamente vinculada a uma multiplicidade de regras humanas, ou seja, que toda ciência é fruto do pensamento pura e simplesmente filosófico (em termos puramente não positivista), e já que o pensamento é a manifestação do conhecimento, e que o conhecimento busca a verdade, é preciso estabelecer alguns pontos lógicos (normas) para que essas metas possam ser atingidas.


Definição positivismo
   O positivismo é uma corrente filosófica que surgiu na França no começo do século XIX. Os principais idealizadores do positivismo foram os pensadores Augusto Comte e John Stuart Mill. O positivismo defende a ideia de que o conhecimento científico é a única forma de conhecimento verdadeiro. De acordo com os positivistas somente pode-se afirmar que uma teoria é correta se ela foi comprovada através de métodos científicos válidos.

  Os positivistas não consideram os conhecimentos ligados às crenças, superstições ou qualquer outro que não possa ser comprovado cientificamente. Para eles, o progresso da humanidade depende exclusivamente dos avanços científicos.   


Instrumento do pensar
   Assim, Earl associa a lógica ao ramo da filosofia que cuida das regras do bem pensar, ou do pensar correto, sendo, portanto, na concepção do autor, toda ciência um instrumento do pensar. Mas, o autor destaca que a aprendizagem da lógica não constitui um fim em si. Ela só tem sentido enquanto meio de garantir que nosso pensamento proceda corretamente a fim de chegar a conhecimentos verdadeiros (como é o caso dos Odones).

   Podemos, então, dizer que a lógica trata dos argumentos, isto é, das conclusões a que chegamos através da apresentação de evidências que a sustentam. Daí, na questão da pesquisa dos Odones, que, apesar de não poder aproveitar-se de experimentos em laboratórios e centros de estudos apropriados para tal, na busca de legitimidades acadêmicas, ela mantém as características essenciais de qualquer pesquisa científica, seja no âmbito das ciências consideradas lógicas e exatas, seja as de cunho social.

    Pois pelo prisma de tal exposição devemos considerar a pesquisa dos Odones de não positivista, pois parte de uma realidade: 


Do senso comum
   Aonde conhecer o funcionamento da síndrome é como conhecer o funcionamento do próprio corpo, através do senso comum, onde a prática da medicina é um reflexo natural do próprio individuo, mostrado através dos conhecimentos populares passados de geração a geração (como mostra ao uso do óleo na Índia). Conhecimentos estes, empregados na prática da medicina popular sem qualquer comprovação científica (o caso da dieta primordial de Lorenzo), onde os pais de Lorenzo efetuam uma pesquisa de campo, para a obtenção de certezas em frente às duvidas levantada por eles.


Do pesquisador
   A grande vantagem desse tipo de pesquisa é a obtenção de dados diretamente na realidade. Sem em nenhum momento perder a pesquisa teórica, em uma ciência baseado em fatos, é na pesquisa de campo que as teorias propostas podem ser validadas ou refutadas (como ficou comprovada a ineficácia da dieta e a benéfica do uso do óleo). Assim, com a utilização de técnicas de amostragem estatística (as teorias sobre a redução dos acúmulos de graxos em animais), a pesquisa de campo nesse caso permitiu o acúmulo de conhecimento sobre determinado aspecto da realidade, conhecimento esse que pôde ser comprovado e utilizado por outros pesquisadores.

  

Da especulação a apropriação
   Aonde a pesquisa sobre o tratamento de Lorenzo pela família e pelos médicos na época, mostra uma forma de medicina especulativa, tendo como base um círculo de poder espiritual (quando os Odones começam a se questionar sobre sua falta de aproximação com a igreja e as consequências advindas dessa atitude) e medicinal (a forma arrogante como os Odones são tratados pelos médicos e especialistas da ciência quanto à forma de cuidados ao tratamento de Lorenzo e em relação às descobertas de Augusto), conhecimento empírico, ou seja, uma forma de entender a moléstia sem qualquer base científica (como a comparação feita por Augusto entre Lorenzo e o ralo de pia). Enquadrada em um círculo às vezes mediúnico (como é mostrado através do cântico do africano e o artefato observado por Augusto entre as coisas de Lorenzo), e através de análises sem qualquer conotação científica ou real (no sonho de Augusto, por exemplo, pelo qual ele descobre a relação da enzima). Em que esse círculo encerra uma crença em divindades (saber religioso) onde o ser humano tenta o transcender. É através dessa crença, que os Odones tentam entender de forma racional, gerada por induções (saber filosófico) a origem da síndrome e a sua ligação de forma cabal com o todo (como é visto no capítulo final do filme, sobre o questionamento da continuidade e utilidade da pesquisa pelos mesmos).


A Cientifização dos fatos
   Em contrapartida a posição dos cientistas, médicos e especialista é positivista em primeiro plano, pois:
 
   No filme em questão, os médicos ao teorizarem (hipóteses), usam de uma abordagem estruturalista e se utiliza de método histórico-estrutural (como é o caso do óleo se é benéfico ou não ao ser humano) que visa coletar (verificação) o máximo de informações sobre os resultados da pesquisa dos Odones (na questão da positividade do tratamento de Lorenzo), a análise do histórico da familiar de Lorenzo e dos artefatos que permitem deduzir sua origem (da ALD), o estudo dos mitos (do que é verdadeiro comprobatório, ou não no tratamento), apesar da pesquisa documental por parte dos Odones, ou seja, que para o leigo a comprovação superficial seria o suficiente para atestar sua eficácia. Mas, para o especialista a pesquisa exigiria uma comprovação ex-post-facto, pois esta analisa situações, que se desenvolverão naturalmente após algum acontecimento, que é estudar um fenômeno já ocorrido, tentar explicá-lo e entendê-lo em toda sua estruturação.
   Dentro de uma observação participante (validação), onde o pesquisador (os Odones) deveria procura pôr-se no lugar dos seus pesquisados (Os portadores da síndrome) como se vê na discussão em torno da descoberta em torno da enzima coletiva, aonde o médico fala <o seu compromisso refuta somente ao seu filho, enquanto que o nosso é mais geral>. Nesse caso, o pesquisador (os Odones), não procurou entender em gênero, números e grau as práticas dos diversos especialistas no assunto, como no simpósio, por exemplo, a posição dos especialistas (objetivação cientifica) e da comunidade de pais envolvidos (falta de clareza) com o drama da doença, a partir dos valores coletados, ou seja, dos valores dos fatores pesquisados (sejam os portadores, a síndrome ou os conhecimentos adquiridos).
  
   Mas ao final, ao analisar de modo descritivo, comparativo e sistemático fica determinado (leis e previsões), que o homem comum (na figura dos Odones) é um buscador, sendo o pesquisador comum, o predecessor do pensamento científico. Essa figura está longe de ser ingênua, suas metodologias e recursos são um pouco especulativo e simples, mas seus conhecimentos são baseados em estudos profundos dos mistérios da mente humana e do espírito, assim como em uma relação palpável do homem com o seu meio, provando a todos de maneira científica que temos capacidades mentais e  intelectuais para entender até as coisas mais improváveis, e que  o seu pensamento subsiste desde os primeiros dias da era do homem, apesar das constantes críticas a tais iniciativas.
  
   Dentro de uma objetividade o filme conclui que é fundamental, é de vital importância do ponto de vista científico e cultural, a pesquisa (seja ela científica ou não) para a preservação do conhecimento e como parte da estrutura genética (mesmo sabendo que tais práticas pelo homem comum causam um desequilíbrio no poder exercido pelos que se auto-intitulam “donos do conhecimento”, dentro da comunidade), pois o saber adquirido é herdado e passa a fazer parte do conhecimento do ser esse conhecimento permanecerá vivo na memória genética do homem comum para sempre.


BIBLIOGRAFIA:

LAVILLE, Christian e DIONNE, Jean. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas.  – Porto Alegre: Artmed; Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999.
ALVES-MAZZOTTI, Alda Judith e GEWANDSZNAJDER, Fernando. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa. 2ª edição; Editora Thomson.
BABBLE, Earl. Métodos de pesquisa survey – Belo Horizonte – MG: Editora UFMG, 1999.
MILLER, George (direção). O óleo de Lorenzo (Lorenzo's Oil). 135 min. Drama. E.U.A; Estudio Universal. 1992.

2 comentários:

  1. Me ajudou muito com meu trabalho acadêmico, e além do mais é um filme que vai muito além da história de uma família.

    ResponderExcluir
  2. Considerando as concepções de conhecimento presentes no filme argumente quanto ao perfil desejável de pesquisador, segundo a sua opinião, na sociedade atual?

    ResponderExcluir